TOPO Header Ads

Perigo iminente entre Santa Maria e Silveira Martins


Recentemente, algumas obras começaram a ser feitas nas ERS-511 (Estrada Municipal Norberto José Kipper) e ERS 804 (Rodovias dos Imigrantes), que ligam os municípios de Santa Maria (Distrito de Arroio Grande) e a cidade de Silveira Martins. Foram colocados tachos, tachões e guardrail sem qualquer acostamento.

As reformas foram realizadas de uma maneira que praticamente inviabilizam a circulação de ciclistas por essas estradas, que sabemos são trajetos frequentemente usados por eles. O que está ocorrendo nessas estradas é uma ação que vai contramão da todas as políticas de progresso da mobilidade urbana, especialmente porque elas implicam riscos enormes para os pedestres e para os ciclistas que por lá circulam.

Os tachões no meio da pista dificultam os motoristas a tomar a distância necessária de um metro e cinquenta centímetros dos ciclistas. Esta distancia que deve ser mantida pelo veículo que passa ou ultrapassa uma bicicleta, é prevista diretamente no artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro. Portanto, a observância desta lei é obrigatória. Outro problema detectado é a colocação dos guardrails.

Para entendermos melhor o que esta acontecendo, divulgamos abaixo um relato do ciclista e empresário Rogério Ilha Dias e Américo Batistella Jr, sobre a atual situação e os perigos destas rodovias.

“No último domingo, eu e meu amigo Américo Batistella Jr, no retorno de nosso giro ciclístico por trilhas da região, nos vimos no mínimo três vezes em situação de risco de atropelamento na ERS-511, onde carros cruzaram por nós a menos de 20 centímetros. Pelo fato de sermos ciclistas experientes, não ocorreu nenhum acidente. A ERS-511 e a ERS-804, ligação de Santa Maria (Distrito de Arroio Grande) à cidade de Silveira Martins, foi reformada com camada asfáltica, pintura, sinalização, tachos, tachões e guardrail. Nos trechos que há guardrail, formou-se um brete, onde os ciclistas e pedestres não possuem a opção de circular em segurança. Se dois veículos cruzarem nesses pontos, o risco de acidentes e atropelamentos é iminente. Como podem fazer um investimento desses para a região turística da Quarta Colônia e não pensarem na segurança de ciclistas e pedestres? É sabido que estes trajetos são de intenso uso para treino e lazer. Há espaço para ciclovia e calçada. Quanto aos ciclistas, fica o alerta para andarem em fila indiana, usaram roupas claras e luzes de sinalização. 

Quanto aos motoristas que circulam pela região e fazem uso das vias, por favor, não excedam a velocidade permitida e redobrem a atenção ao aproximarem-se de ciclistas e pedestres. Lembre que a distância mínima ao cruzar um ciclista é de 1,5 metros. Por fim, é preciso que o Daer e as prefeituras de Santa Maria e Silveira Martins façam algo para garantir segurança nestes trajetos, caso contrário, a contagem regressiva para juntar vitimas nessas ERS já começou.”

Sabemos que o ciclismo é uma atividade desportiva mundialmente reconhecida pelos bens que produz à saúde de seus praticantes, como também pelos benefícios promovidos na mobilidade urbana nas cidades e na diminuição significativa da poluição ambiental. Cientes dessas qualidades, diversos órgãos públicos executivos e legislativos em todo o mundo têm desenvolvido verdadeiras políticas de promoção do ciclismo.

Infelizmente os ciclistas que usam essas estradas para seu esporte/deslocamento não foram, em nenhum momento, consultados ou ouvidos. A Associação Santa Maria Ciclismo (ASMC) tem desenvolvido campanhas de conscientização e de orientação aos ciclistas, de como portar-se em rodovias, como essas relatadas no escrito. A associação também destaca e chama atenção para o uso dos materiais mínimos de segurança que o ciclista deve fazer nos seus passeios e pedaladas.

Entendemos que podemos chegar a um acordo pela via do diálogo. Contudo, é imprescindível que o poder público também esteja ciente das suas responsabilidades e deveres. Desta forma, gostaríamos de solicitar as prefeituras das cidades de Santa Maria e Silveira Martins, bem como os órgãos públicos competentes, que tomassem providências quanto à situação relatada e que acompanhassem de fato o que esta acontecendo.


Crédito do texto: Américo Batistella Jr, Carlos Armani, Rogério Ilha e Jâneo Manuel
Divulgação: Associação Santa Maria Ciclismo (ASMC) 
Crédito da foto: Alexandre Maier

Tecnologia do Blogger.