TOPO Header Ads

Júlio de Castilhos - Você conhece e sabe o que é espiral de ervas

Algumas imagens de uma espiral de ervas, publicadas nas redes sociais em Júlio de Castilhos, obtiveram um grande número de visualizações e esta matéria traz este conteúdo, que conta um pouco sobre a forma deste “canteiro”.

A permacultura é um sistema que usa o design para criar ambientes humanos mais sustentáveis, equilibrados e em harmonia com a natureza. O objetivo de seus percussores, Bill Mollison e David Holmgren, é trabalhar com a natureza, observando as funções e sistemas naturais de forma holística.

Mollison e Holmgren começaram a desenvolver a permacultura em 1970. Atualmente, a aplicação dos conceitos observados na natureza ajuda a recriar ambientes sustentáveis em grandes ou pequenas escalas, seja uma horta ou em comunidades inteiras. Um exemplo da aplicação da cultura permanente é o espiral de ervas.

O formato espiralado é muito frequente na natureza, encontrado desde as conchas dos caracóis até as constelações. O espiral reúne diversas funções naturais em um único elemento, por isso acaba se tornando mais produtivo. Com os espirais de ervas é possível criar microclimas e plantar diferentes espécies em um mesmo terreno, se adequando a necessidade de cada uma delas.

Neste tipo de cultivo a permacultura fica bem evidente, pois características específicas das florestas podem ser reproduzidas: no alto do espiral o ambiente normalmente é mais seco e ensolarado; o contorno de suas voltas pode ser mais sombreado e, na base, o solo é bastante úmido, podendo até mesmo estar encharcado e formar um pequeno lago.

Os espirais podem ser construídos em casa para a plantação de flores, plantas aromáticas e forrações. Não é preciso gastar muito, nem é tão difícil quanto pode parecer: com pedras, tijolos, madeira ou bambu, um pouco de terra e adubos, uma pequena amostra das ideias de cultura sustentável de Mollisson e Holmgren pode ser construída.

O primeiro passo é escolher um local ensolarado e plano, para facilitar a drenagem e escoamento de água. Além disso, a maioria das ervas necessita de luz para se desenvolver.

Depois, é necessário delimitar o espaço do seu espiral, desenhando as voltas que ele terá com os tijolos ou as madeiras. Lembre-se que o ponto mais alto deve ser o centro do desenho e que o espiral não se fecha no final.

Misture terra adubada, húmus de minhoca e areia para formar um solo rico em nutrientes e preencha seu espiral do centro até a base com essa mescla. O ideal é peneirar a terra antes de utilizá-la e cobrir o solo original com palha seca, para manter a umidade do local.

No topo, onde há mais luz, plante alecrim, alho, arruda, babosa, manjericão, pimenta e salvia, por exemplo. Nas partes mais baixas, com meia-sombra e solo úmido adaptam-se melhor a alfavaca, arnica, carqueja, gengibre e hortelã.

A espiral que ilustra a matéria foi sugerida pelo Castilhense, Terapeuta holístico Lairton Martins, ao seu pai Caio Portela, que hoje é Terapeuta Natural/complementar em Reiki.





Foto: Caio Portela

Conteúdo creditado à Pensamento Verde
Tecnologia do Blogger.