TOPO Header Ads

Jovem Castilhense desenvolve importante trabalho junto ao Ministério da Saúde

O Castilhense Lairton Martins, hoje radicado na capital Federal, Brasília, trabalha junto ao Ministério da Saúde, no Departamento de Atenção Básica, junto à coordenação da política nacional de práticas integrativas e complementares, a qual contempla sistemas médicos complexos e recursos terapêuticos, os quais são também denominados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de medicina tradicional e complementar/alternativa (MT/MCA). Tais sistemas e recursos envolvem abordagens que buscam estimular os mecanismos naturais de prevenção de agravos e recuperação da saúde por meio de tecnologias eficazes e seguras, com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade. Outros pontos compartilhados pelas diversas abordagens abrangidas nesse campo são a visão ampliada do processo saúde-doença e a promoção global do cuidado humano, especialmente do autocuidado.

Com a publicação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), a homeopatia, as plantas medicinais e fitoterápicas, a medicina tradicional chinesa/acupuntura, a medicina antroposófica e o termalismo social-crenoterapia foram institucionalizados no Sistema Único de Saúde (SUS).

Todas as ações decorrentes das políticas nacionais voltadas à integração das práticas integrativas e complementares ao SUS, principalmente quando se utilizam plantas medicinais e derivados como recurso terapêutico, perpassam pelo entendimento e valorização da multiculturalidade e interculturalidade, por gestores e profissionais de saúde, para maior equidade e integralidade da atenção.

Assim, a Política Nacional de Atenção Básica preconiza que esse nível de atenção considera o sujeito em sua singularidade e inserção sociocultural, buscando produzir a atenção integral.

Na relação intercultural, busca-se favorecer o entendimento de pessoas com culturas diferentes, em que a escuta e o enriquecimento dos diversos espaços de relação são facilitados e promovidos visando ao fortalecimento da identidade própria, do autocuidado, da autoestima, da valoração da diversidade e das diferenças, além de proporcionar o desenvolvimento de uma consciência de interdependência para o benefício e desenvolvimento comum.

Lairton, disse que este programa pode ser implantando em todo o Brasil, para isto o município tem que buscar maiores informações junto ao Ministério da Saúde ou através dos contatos: E-mail pics@saude.gov.br / lairton.martins@saude.gov.br. Telefone: (61) 3315-9034

O Castilhense Lairton é graduado em enfermagem pela Universidade Federal de Santa Maria, campus de Palmeira das Missões/RS. Especialista em Educação em Saúde Mental Coletiva pelo Programa de Especialização em Educação em Saúde Mental Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi residente no Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Mental Coletiva, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Integra o Coletivo POVARÉU de arte, saúde e educação popular e a Articulação Nacional de Movimentos e Práticas de Educação Popular e Saúde. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, Saúde Mental e Educação Popular. Atua principalmente com os seguintes temas: práticas integrativas e complementares; plantas de poder; saúde mental coletiva e educação popular.



Foto: Caio Portela/Portal De Tudo Na net
Fonte de Informações: Lairton – Portal da saúde


Portal De Tudo Na Net


Tecnologia do Blogger.