TOPO Header Ads

Ações de saúde buscam a prevenção e o combate ao suicídio

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que o suicídio é a terceira causa de mortes no mundo na faixa etária entre 15 e 35 anos, com cerca de um milhão de vítimas por ano. No Rio Grande do Sul, a cada 24 horas, três pessoas cometem suicídio. Com foco nesta realidade e tratando a morte autoprovocada como um problema de saúde pública, profissionais da área participaram na quinta-feira (10) do Seminário Estadual de Promoção da Vida e Prevenção ao Suicídio, atividade que marca o Dia Mundial de Combate ao Suicídio.

A chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), Tani Raniere, ressaltou a relevância e a magnitude destes dados que apontam também para um aumento no número de suicídios entre adultos jovens ( de 15 a 44 anos). “Este debate é fundamental para que possamos avançar na prevenção à morte autoprovocada. Entendemos que para qualificar este processo, precisamos capacitar os profissionais de saúde para atuarem de forma efetiva no acolhimento e na escuta qualificada de usuários com ideia suicida.”

O coordenador de Saúde Mental , Luiz Coronel, informou que o combate às mortes provocadas por violência, incluindo os suicídios, são prioridades para a Secretaria Estadual da Saúde. Segundo ele, já estão em andamento pelo TelessaúdeRS cursos de saúde mental voltados para todos os serviços de Atenção Primária/Atenção Básica do Estado. “Com isso, queremos capacitar o agente de saúde que está mais próximo da população e pode detectar precocemente pessoas com tendência suicida e intervir de forma adequada para evitar esta ocorrência”. Ele destaca ainda que fatores como depressões graves e consumo abusivo de álcool e outras drogas contribuem para agravar o problema. Coronel avalia que a prevenção passa por estratégias que contemplem a integralidade da atenção e necessidades do usuário garantindo promoção de qualidade de vida e recuperação da saúde.

A atividade integra também a programação do Setembro Amarelo que tem o objetivo de informar a população sobre a necessidade de observar a saúde mental de familiares e amigos. Hoje, o Hospital Psiquiátrico São Pedro, a Estátua do Laçador e o Estádio Beira-Rio terão iluminação amarela em alusão à data.

Desde junho de 2014, o suicídio é de notificação compulsória e imediata no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Dessa forma, os municípios podem aplicar as devidas medidas de controle, fornecendo acompanhamento e orientação familiar através da Rede de Saúde Mental. 



Seminário debate suicídio e busca estratégias de prevenção - Foto: Priscila da Silva
Fonte: Secretaria Estadual de Saúde
Tecnologia do Blogger.